quarta-feira, 31 de maio de 2017

Resenha: Passarinha - Kathryn Erskine

Editora: Valentina
Autora: Kathryn Erskine
Páginas: 224
Nota: 5

Sinopse:
No mundo de Caitlin, tudo é preto e branco. Qualquer coisa entre um e outro dá uma baita sensação de recreio no estômago e a obriga a fazer bicho de pelúcia. É isso que seu irmão, Devon, sempre tentou explicar às pessoas. Mas agora, depois do dia em que a vida desmoronou, seu pai, devastado, chora muito sem saber ao certo como lidar com isso. Ela quer ajudar o pai - a si mesma e todos a sua volta -, mas, sendo uma menina de dez anos de idade, autista, portadora da Síndrome de Asperger, ela não sabe como captar o sentido.

Caitlin, que não gosta de olhar para a pessoa nem que invadam seu espaço pessoal, se volta, então, para os livros e dicionários, que considera fáceis por estarem repletos de fatos, preto no branco. Após ler a definição da palavra desfecho, tem certeza de que é exatamente disso que ela e seu pai precisam. E Caitlin está determinada a consegui-lo. Seguindo o conselho do irmão, ela decide trabalhar nisso, o que a leva a descobrir que nem tudo é realmente preto e branco, afinal, o mundo é cheio de cores, confuso mas belo.

Um livro sobre compreender uns aos outros, repleto de empatia, com um desfecho comovente e encantador que levará o leitor às lágrimas e dará aos jovens um precioso vislumbre do mundo todo especial dessa menina extraordinária.

Passarinha conta a história de uma menininha que recentemente perdeu seu irmão, e já tinha perdido sua mãe. Ela vive com o pai, e é muito especial, ela autista e é portadora da síndrome de Asperger, ela tenta ajudar ao seu pai que sofre muito, e as outras pessoas também, mas não consegue entender sobre os sentimentos e simplesmente não sabe como ajudar.


Na escola, ela não consegue se enturmar com os colegas, já que pela falta de compreensão com os sentimentos alheios, ela não tem filtros e tampouco consegue sentir empatia por eles, o que dificulta muito as coisas. Mas em um determinado momento as coisas começam a mudar, quando ela faz amizade com um menininho mais novo que ela, que não vê nada de errado com a Caitlin.

Caitlin sabe que tem algo acontecendo e após ouvir e descobrir o significado da palavra desfecho, ela sabe que é isso que ela tem que fazer para entender essas coisas que ela sente, e também para se recuperar da perda do irmão e melhor amigo. E então ela começa a correr atrás do seu desfecho.

A forma como o livro é narrado é suave e fluído, o livro trata de assuntos sérios de uma forma suave, visto pelos olhos de uma criança, é uma história doce e emocionante que nos dá algumas lições e aprendizados para a vida.

Esse livro me encantou de uma forma tão genuína quanto Extraordinário (ele ainda é o meu preferido), a Caitlin é maravilhosa ao seu modo e esse livro é cheio de aprendizados e assuntos para pensar. Ele está no hall dos livros que todo mundo deveria ler.